quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

O Início, o Fim e o Recomeço

Tudo tem um início, a maioria das coisas tem um fim e algumas delas tem um recomeço.
Em 2008 quando iniciei o blog não imaginei que ele chegaria aonde chegou, me proporcionaria o que me proporcionou. Conheci muita gente interessante, pessoas que são meus amigos até hoje. Senti a alegria de receber selos e homenagens. E desabafei e expus meus sentimentos.
Porém a situação muda. Quem acompanhou o blog durante um tempo sabe que nos últimos tempos não fui mais o mesmo na qualidade das postagens nem na frequência com que postava.
Agora venho até aqui para formalizar o fim do blog Du Ventu, agradeço a todos os que me ajudaram e a todos que comentaram.
Informo também que estou dando início ao: Só Pedaços, um novo projeto de blog que informo desde já que será feito sem um compromisso rígido e eu simplesmente irei escrever o que vier a minha mente, só pedaços de pensamentos.
Até lá.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Eu, ele e Ela: Os Errantes

Éramos três hipócritas!
Cometíamos várias vezes o mesmo erro, porém um julgava o outro.
Sendo sincero, o primeiro a praticar tal coisa fui eu. Quando ela descobriu, pude ver a mágoa em seus olhos, era tão intenso que era quase um ódio pelo que eu fiz. Após tomas uma porção extra de humildade e coragem fui até ela e me desculpei, a desculpa foi sincera, mas a tentação de cometer o erro novamente foi maior.
Depois foi a minha vez de fazer algumas descobertas. Começou com uma desconfiança, depois tive a confirmação que havia ganhado um parceiro de erro. Como era mais experiente no assunto, colaborei ajudando a manter o segredo dele a salvo.
Um bom tempo havia se passado e por fim descobri que ela acabou cedendo e tornou-se uma errante.
Ele e ela não fazem idéias de que sei de seus segredos, afinal comenta o mesmo erro que eles.

P.S.1.: Nunca mais passei por aqui pois o estágio está me consumindo e não sobra tempo para muita coisa.
P.S.2.: Deixo aqui a indicação do blog do amigo Luan Poeta Corôa

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Tenho Medo

"Assim como a dor
Que fere o peito
Isso vai passar
Também"

Tempo - Sandy


O que eu posso dizer sobre os meus malditos sentimentos? Quero poder dizer que sou maduro e que tenho sentimentos maduros. Quero tanto poder dizer que sou maduro, que por muitas vezes chego a reprimir meus sentimentos.
Tento criar uma desculpa para estar sentindo isso e tenho medo de viver esse sentimento temendo que ele passe assim como o anterior.
Tenho medo de que essa mudança súbita de um sentimento para outro seja sinal de falta de madureza. Tenho medo de estar sendo crítico demais comigo. Tenho medo de estar me julgando demais.
Estou confuso, falando coisas sem sentido!
Maldição!!!
Basta um olhar para esquecer de todos os meus medos e basta apenas um outro olhar para eles virem a tona novamente.
Maldição!!!
Não sei o que eu faço. Estou confuso. Estou com medo.

P.S.1.: Mais um texto que sei que poderia ser bem melhor, mas mesmo assim estou postando aqui.
P.S.2.: Quem não pegou o Du Ventu desde o início por favor olhem essa série de posts que eu fazia sobre Letras de Impacto e com sinceridade digam o que acham, se tem a ver com o estilo que o blog tem hoje e se eu deveria pensar em voltar com essa série.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Ser um Humano

Se tem uma coisa que gostaria muito de ter serio o domínio sobre os meus sentimentos. Imagino como seria a minha vida se pudesse ligar e desligar sensações como inveja, ciúmes, raiva, culpa, curiosidade e tantas outras.
Minha vida poderia ser mais fácil sim. Porém as ações que esses sentimentos me conduziram me fizeram ser o que sou hoje.
Mas por que o sentimento constate de que nunca sou bom o suficiente em alguma coisa?
Sei que nunca poderei ter controle total de meus sentimentos e sei que não posso evitar todos os erros que comento, pois sei que no fundo são essas coisas que fazem de mim um ser humano.

P.S.1.: Estou impressionado como os meus textos estão cada vez mais recheados de clichês e reflexões.
P.S.2.: Mais uma vez indico a vocês um blog que a cada post tem me tornado viciado. O Divagações Solitárias do amigo Eduardo Montanari.

terça-feira, 22 de junho de 2010

O Medo do Novo

Houve uma época que considero como sendo o auge de minha vida. Eu estava rodeado de amigos, estava envolvido em atividades que me traziam verdadeira alegria e satisfação, era incapaz de me apegar à tristeza e solidão e sabia valorizar as pequenas coisas. Em outras palavras: houve uma época que eu era feliz.
Porém aprendi de forma dura que o tempo passa, as circunstâncias mudam e o mesmo acontece com as pessoas. Aos poucos fui deixando de estar cercado por amigos(sabia que no fundo eles estariam por perto quando eu precisasse), o mundo girou, as coisas aconteceram e não soube lidar com tudo isso.
Parei minha vida, fui perdendo o ânimo, desistindo de meus sonhos, me afastando dos amigos, me afundando em tristeza e solidão.
Por muito tempo permaneci nesse estado emocional sem fazer o mínimo esforço para sair dele. Então depois de muito pensar percebi que errei em não querer mudar, não ousar o novo, não acreditar que não poderia ser feliz em outras circunstâncias.

P.S.1.: Já tou com net novamente, aos poucos irei retomando as atividades.
P.S.2.: Me sigam no twitter

sexta-feira, 11 de junho de 2010

E se for eu?

E se eu for a massa escura da história?
E se for eu que esteja atrás de destruição,
desordem, desunião e brigas?
Estou confuso, estou com medo,
Me sinto sozinho, quero fugir, quero chorar,
quero sumir.

P.S.1.: Estou sem net temporariamente, estarei tentando atualizar aqui do trabalho, mas se passar uns dias sem atualização não se assustem.
P.S.2.: A amiga Sumie me indicou como blog do mês no seu blog A Fada dos Livros, muito obrigado Sumie.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Inspiração em mundos

Certo blogueiro passava por tempos críticos no que diz respeito à inspiração. Tentou de tudo um pouco, mas a única coisa que ele não conseguia era forçar a escrita dos textos.
Ele sabia que a falta de inspiração ocorre frequentemente com todos os blogueiros. Mas o que acontecia com ele era esquisito, a inspiração só aparecia nos momentos que ele não podia registrar a idéia, depois ela simplesmente sumia.
As idéias mais fantásticas sempre apareciam quando ele estava tomado por sono e deitava para dormir. Durante esse período ele era capaz de criar textos completos na mente, mas quando acordava toda a inspiração ia embora.
Ele se perguntou então: Pra que insisto em pensar acordado em um mundo real que não me permite amadurecer uma idéia decente, se eu posso pensar dormindo num mundo de sonhos que me dá liberdade para imaginar o que quiser?

P.S.1.: Admito que esse não é um dos meus melhores textos, postei apenas para não deixá-lo morto no caderno. Acredito que o próximo post será melhor.
P.S.2.: Conheci o blog do Israel França o qual eu indico a todos: Além da Literatura
P.S.3.: Indico também o texto: Meu Domínio

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Apenas um Olhar

"Apenas um olhar mistério
Confuso de entender"
Apenas um Olhar - NX Zero 

Andando por um largo corredor vazio, ela estava sem rumo. Seu olhar tinha como destino o chão e seus pensamentos as nuvens. Seu cabelo sempre estava preso assim como as suas vontades.
Quando passei por ela pela primeira vez, ela me destinou um olhar poderoso que me deixou atordoado, seu olhar foi tão poderoso que me deixou dependente. Tinha decidido fazer o que fosse necessário para me aproximar dela e poder observar aquele olhar quantas vezes eu quisesse sem precisar fazer isso em segredo e quem sabe até mesmo decifrá-lo!
Quando consegui me aproximar dela, descobri um ser completamente incrível e que por mais improvável que fosse também costumava me observar. Embora fosse de estatura baixa, buscava sempre se mostrar uma garota forte, mas essa não era a verdade, por dentro sua fragilidade e delicadeza criaram em mim o desejo pulsante de protegê-la.
Sabia que era muito egoísmo querer que ela fosse só minha, pra falar a verdade acho que seria também uma grande invasão da minha parte buscar decifrar aquele olhar que me prendeu desde o primeiro momento. Quero apenas que ela esteja em segurança perto de mim.

P.S.1.: A gota d'água final que me fez voltar com o meu blog foi a Diná Santos e é pra ela que dedico esse texto. (sem segundas ou terceiras interpretações por favor!)
P.S.2.: Pra quem está chegando agora por aqui no blog e ainda não viu, indico o texto: Clichê

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Retorno

Oi pra todo mundo, imagino que alguns tenham desistido de vir aqui em busca de atualizações.
Sei que falhei em sumir sem dar notícias a NINGUÉM. E por um tempo pensei realmente em por um ponto final nesse blog, porém durante o meu tempo de blogueiro eu fiz muitos amigos e acumulei bastante histórias... não queria deixar isso tudo para trás de forma tão simples.
Estou voltando com o blog e espero que dessa vez possa agir de uma forma que não me traga tantos problemas e mal entendidos.
Acho que da primeira vez eu falhei por me esforçar em fazer uma coisa muito formal me importando mais com os outros do que comigo mesmo, dessa vez pretendo ser mias liberal e tentar realmente me divertir.
Peço desculpa aos parceiros do blog por durante esse tempo não ter dedicado ao menos 5 minutos para passar em seus blogs e deixar nem que fosse um comentário pra dizer um oi, espero que possa reconquistar a amizade e confiança de vocês.

P.S.1.: Durante esse tempo uma coisa que me tornei foi um viciado em twitter e uma das boas surpresas que pude ter por lá foi a de conhecer o blog Adorável Psicose da Natália Klein a qual eu indico com todas as forças.

quarta-feira, 3 de março de 2010

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Desabafo de um blogueiro v 2.0

"Já desisti não existe porquê
Sou apenas mais um alegre deprê"
Seria o Rolex? - Móveis Coloniais de Acaju

No post: Desabafo de um Blogueiro, o amigo Eduardo Montanari deixou um comentário que mais tarde transformou em post, onde me dizia a realidade da blogosfera: a maioria das pessoas não estão tão interessadas assim em blogs pessoais, com textos e desabafos.
Quando escrevi aquele desabafo, confesso que não sabia mais quais eram os meus objetivos ao ter um blog, eu não tinha interesse no meu próprio blog. Pra que eu ia querer ter algo que eu mesmo não acreditava?
Depois de publicar o post, recebi comentários maravilhosos de grandes amigos(as), inclusive de pessoas que nem sabia que liam o meu blog. Vi que não poderia deixar as coisas assim! Sentei, pensei e em uma folha de ofício escrevi os meus objetivos para com o blog, o que pretendia alcançar com ele. Me surpreendi pois defini mais objetivos do que esperava.
A maioria das pessoas não se interessam tanto por blogs como o meu? Deixa pra lá!!! Vi que embora não acredite tanto no que publico, tenho amigos que acreditam no escrevo e me apoiam.
Estou planejando para os dias a frente, mudança e evolução para o Du Ventu.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Queria Sentir Raiva

Queria poder sentir raiva de você! Gostaria de conseguir te dar as costas sem pensar e nem olhar para trás. Mas não consigo!
Não consigo porque é difícil imaginar a minha vida sem você por perto. Afinal são mais de 5 anos de amizade verdadeira.
Mesmo depois de todo esse tempo, ainda existem características suas que não consegui me acostumas, tais características me incomodam, mas eu te entendo e aceito.
O que estou tentando dizer, não é que a sua amizade me faz mal (longe disso!!!). Talvez no fundo o que eu sinto seja medo de perder a sua companhia.
Tenho raiva é de mim, por toda essa situação que criei.

P.S.1.: Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a todos os comentários que fizeram no último post.
P.S.2.: O texto indicado da vez é: O Pequeno Pote de Alegria
P.S.3.: Mais uma vez recebi um selo da grande amiga Sumie, muito obrigado Sumie.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Desabafo de um blogueiro

"Busquei em vão
Identificar
Motivos para não
Querer te guardar"
Seria o Rolex? - Móveis Coloniais de Acaju

Tenho pensado muito na continuidade do blog Du Ventu. Criei o blog graças ao incentivo da minha amiga Daniele Vieira. No início era um blog sem um tema definido, depois de algum tempo resolvi postar só os meus textos aqui no blog.
Acontece porém, que o blog tem pouco mais de um ano. Chegamos a essa idade com muito sacrifício e esforço, mas pra ser sincero, embora a maioria diga o contrário, não acho os meus textos bons, não acredito no meu trabalho como deveria, acho que os meus temas e o meu estilo de escrita são repetitivos e não acho que o meu blog tenha algo a acrescentar pra quem o lê.
Sei muito bem o que o blog me proporcionou, conheci muita gente interessante e com alguns em especial, criei uma grande amizade. Se me perguntassem hoje o porquê que tenho um blog, não saberia responder, pois além de não acreditar na qualidade do que posto, os meus leitores são poucos (e a esses poucos tenho muito a agradecer). Não quero dizer que minha intenção ao ter um blog seja ganhar destaque na internet, o caso é que tenho a péssima mania de me comparar a outros e vejo por ai blogs com menos tempo do que o meu, mas com uma qualidade superior.
Ou seja, toda a questão é a qualidade! Não estou satisfeito com a qualidade do meu blog.
Esse foi apenas um desabafo. Não quero dizer que irei acabar com o blog, apenas digo que essa é uma idéia tentadora que tem passado por minha mente.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

O Segredo Visto no Espelho

Ela era uma menina de cabelos loiros, olhos castanhos, que demonstrava ter um jeito doce e delicado. Vivia sonhando com uma vida melhor, uma vida perfeita, esperava há muito tempo a chegada de um príncipe vindo de um castelo distante que a levaria para o lugar que sempre havia sonhado.
A verdade, porém, é que embora demonstrasse ser doce, a menina passava por cima de toda e qualquer pessoa que se ousava a contrariá-la, qualquer pessoa que tentava acordá-la para a realidade. Ela possuía segredos que se alguém os revelasse, destruiria toda a sua reputação.
Depois de tanto desejar encontrar o local de seus sonhos, ela de repente estava se vendo em frente às muralhas de um reino. Ainda sem acreditar muito no que estava acontecendo, foi caminhando numa estrada de pedras que havia no meio de extenso jardim. Tudo estava acontecendo de uma forma melhor do que ela havia imaginado.
Ao fim da estrada, ela pode ver o castelo. Com grande alegria, ela correu em sua direção. Era um local incrível! Após o ter explorado, a menina chegou a uma sala com vários espelhos, de diversos tamanhos, ao estar no centro da sala os espelhos não mais refletiram a imagem dela, eles a mostraram a verdade nua e crua.
A garota levou um grande susto ao ver aquelas imagens e saiu correndo para fora do castelo. Quando estava do lado de fora, nada estava como antes, o sol estava sumindo aos poucos e a escuridão dominava o local. Ela gritou por socorro, mas ninguém a escutava, então correu tentando sair o mais rápido possível daquele local. Os galhos dos arbustos haviam tomado vida e tentavam prende-la. Ao conseguir chegar à muralha em que tinha iniciado sua visita ao reino, não sabia mais para onde ir, até que a escuridão chegou até ela.
Aquela menina acordou em sua casa, ainda sem saber direito o que havia acontecido. Ela jura que o que houve foi real, mas o que é certo é que depois da sua experiência com os espelhos, ela nunca mais foi a mesma.
O que ela viu nos espelho? Ninguém nunca soube.

P.S.1.: Ainda não entendo direito o motivo de eu ter feito esse texto, acho que foi um clipe que eu vi e a idéia desse texto não saiu de minha mente.(O que a falta de inspiração não faz!).
P.S.2.: A indicação de hoje é o texto: De Noite.
P.S.3.: Você já se sentiu humilhado(a)? Já se sentiu anormal? Já te chamaram de feio(a)? Então indico o post da Lady Sixties: Eu, A Feia.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Homenagem - Escrito Desse Lado

Durante um período de ócio, busquei distrair-me com leituras sem compromisso. Após folhear algumas revistas, resolvi resgatar algumas cartas que havia guardado em uma caixa. Uma por uma, fui as lendo e relembrando bons momentos.
Cheguei por fim a uma carta sua, a última que você me enviou. Li de uma forma mais especial, cuidadosa, atenciosa. A sinceridade que você usou ao escrever a carta ainda era assustadora.
A saudade que estava sentindo era tanta que cheirei a carta para ver se ainda conseguia sentir um pouco do perfume que passou na carta.
Meus sentimentos estavam sendo reavivados, não era esse o meu objetivo ao abrir aquela caixa. Fui guardar sua carta no envelope que você mesmo fez, e pude notar pela primeira vez que havia escrito algo na parte de dentro do envelope:
“Sei que a emoção não vai lhe permitir ver o que está escrito desse lado tão facilmente, quando ver, espero que tenha me perdoado. Eu não escrevo o que quero, escrevo o que sou”


P.S.1.: Sei que o texto não está dos melhores, mas foi de coração que quis fazer essa homenagem para a Sumie do blog Escrito Desse Lado. Ela tá sempre marcando presença nos comentários aqui do blog, pra quem não conhece, recomendo o blog pois é sincero e verdadeiro, com opiniões de livros, séries e histórias da vida da autora do blog.
P.S.2.: Se você não viu, recomendo a leitura de uma outra homenagem a uma amiga blogueira que fiz no texto: Homenagem - Sobre Fatalismos

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Não se apegue!

Não se apegue!
Foi o que me disse quando a vi pela primeira vez, afinal de contas eu me apego fácil. No começo estávamos um pouco assustados, tímidos. Mal tivemos contato.
Fomos nos soltando aos poucos e dando espaço para nos conhecermos. Devido a um traço de personalidade, fiquei muito preocupado em agradá-la e com a impressão que ela teria de mim e do ambiente a que eu havia a levado.
Ela conseguiu se adaptar a situação de forma mais rápida do que eu. Daí então ela mostrou sua verdadeira personalidade, começou a ficar mais próxima de mim e me fazer carinhos.
Foi uma questão de tempo até eu também estar envolvido. Mas não se engane! Não era algo físico, havia sentimentos.
Observava sua fragilidade e solidão, queria protegê-la, lhe fazer companhia. Eu já sabia como essa história iria acabar, mas a esse ponto não tinha como voltar atrás.
A noite avançou e tive que me separar dela. Foi de cortar o coração ver seus olhos implorando para não deixá-la só novamente.
Aconteceu o que eu não queria: Eu me apeguei!

P.S.1.: Esse é um texto que não achei tão bem escrito assim, mas resolvi postá-lo.
P.S.2.: Recebi mais um selo da Sumie. Muito obrigado mesmo.
P.S.3.: A indicação de hoje é o texto: A libertação, já que estamos falando de relacionamentos.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Sacrifício

Eu te amo! Te amo com todas as minhas forças.
Clichês? Que se dane! Meu amor por você vai de encontro a todos esses conceitos populares.
Não me interprete mal, meu sentimento é do mais nobre, puro, livre de ambições.
Isso é uma droga, pois sei que vai dizer que tudo não passa de puro drama! Mas você não entende e talvez NUNCA entenderá a importância e significado que o seu nome tem para mim.
Espero que você compreenda que meu amor não é o amor que um homem destina a uma mulher, antes se assemelha com grande intensidade ao amor que um jovem tem por sua irmã e um pouco ao amor que um pai tem por sua única filha.
Eu te amo tanto que quero acima de meus interesses te ver feliz, para isso acontecer tenho que deixar você ir, não posso mais te obrigar a ficar parada ao meu lado.

P.S.1.: Sim, sim. Esse é um texto que é todo baseado em história real, porém é história muito antiga! Escrevi esse texto tem muito tempo.
P.S.2.: Se ainda não viu, talvez também goste do seguinte texto: Clichê

sábado, 23 de janeiro de 2010

Falta de Memória

Daniele - Odeio algumas dessas bandinhas de hoje em dia
Levi - Eu até que gosto.
Daniele - Tem até aquela banda que tem aquele clipe maneiro
Levi - Que banda?
Daniele - Aquele clipe que um cara leva a menina pro baile só que ele tem todo o jeito de nerd. E perto do fim ele faz aquela dancinha.
Levi - Ah! Sim eu sei qual é.
Daniele - Qual é mesmo o nome da banda?
Levi - Me esqueci.
Daniele - O cantor dessa banda participou até daquela série One Tree Hill.
Levi - Isso mesmo, o Pete.
Daniele - É isso!
Levi - Eles até regravaram uma música do Michael Jackson!
Daniele - Que drogra, nos lembramos de tudo menos do nome da banda!
Levi - FALL OUT BOYS!!!

P.S.1.: Talvez também queira ver outra conversa que tive, e por coincidência com a Daniele Vieira também: Conversa de Doido
P.S.2.: Agradecimento ao Fábio que viu um erro que passou despercebido e me falou a tempo de ser corrigido!

sábado, 16 de janeiro de 2010

Homenagem para amigos

Hoje não vim aqui pra postar um texto, sei que passei toda a semana sem postar, mas foi uma semana complicada. No dia que deu pra vim aqui e postar, entrei no Painel do blogger e todos os blogs que eu sigo haviam sumido, fiquei tão estressado que nem postei.
Recebi um selo de meu amigo Thiago Paulo e irei aproveitar a oportunidade pra fazer uma homenagem para alguns amigos, homenagem essa que já estou querendo fazer desde que o blog completou 1 ano.


Então fica aqui minha homenagem para:

Daniele Vieira
Não poderia esquecer dessa menina a quem considero como a madrinha do blog, afinal foi por causa dela que criei um blog e conheci todos os que irei citar abaixo

Thiago Paulo
Eu conheci o Thiago logo quando criei meu blog, em uma dessas comunidades do Orkut de divulgações de blogs. Ele já fez tanta coisa por mim, teve tanta paciência comigo, que hoje ele tem todo meu respeito, consideração e gratidão!

Diógenes Daniel
O Diógenes foi uma das parcerias mais longas e fiéis que já tive, além de escrever super bem.

Marcelo Antunes
Um tiozinho de 72 anos que diz que ainda é novo e se tornou um parceirão mesmo! (P.S.:Ele não tem 72 anos)

Mariana Monteiro
Uma viciada em realitys muito gente boa, que virou uma comentarista parceira!

Mattheus Rocha
Desde que entrei no Dihitt, conheci alguns bons blogs, mas tem um que até hoje não me arrependi nenhuma das vezes que visitei, pela qualidade de seu blog quis mencioná-lo aqui.

Além desses, existem dois grandes amigos que não possuem blogs, mas fazem questão de sempre estar visitando o Du Ventu: Geisa e Fábio. Se existem duas pessoas que me incentivam e renovam minhas energias para continuar com o blog, são esses dois!

P.S.1.: Sei que esse post foi bem clichê, mas a idéia de fazer esse post não me saía da cabeça.
P.S.2.: Veja as outras homenagens do blog no marcador: Homenagens

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Via de Escape

"Me sinto só,
Mas que é que nunca se sentiu assim
Procurando um caminho pra seguir uma direção
Respostas"


Sentado em meu quarto, querendo que alguém me escute, querendo encontrar respostas para questões que para mim são fundamentais, olho para as minhas mãos e só consigo ver impotência.
Na busca por uma ocupação, peguei um caderno e um lápis e comecei a rabiscar algumas palavras, após alguns minutos me senti mais aliviado, olhei para o caderno e vi que havia escrito um texto. Passei a fazer uso de tal terapia sempre que não me sentia bem.
Os textos rapidamente foram se acumulando e ficando espalhados em folhas soltas pelo quarto. Graças ao incentivo de alguns amigos, resolvi criar um blog. Para minha surpresa encontrei outras pessoas atrás de um ouvido atento, pessoas em busca de respostas e pessoas com hobbies.
O tempo passou e encontrei leais ouvidos atentos... minhas respostas ainda não encontrei a todas, porém não  estou mais sozinho nessa busca.

P.S.1.: Antes que alguém diga, esse texto não é totalmente baseado em experiência própria, ele foi basicamente inspirado no post da Mari B..
P.S.2.: Indico como leitura adicional: A Saga de Um Texto.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Homenagem - Um Ensaio Para o Silêncio

"Será que eu falei o que ninguém ouvia?,
Será que eu escutei o que ninguém dizia?"
Arnaldo Antunes

Um grupo de amigos estava a me olhar e durante um bom tempo eu continuava falando, percebia em suas expressões o tédio por estarem ali parados tendo que escutar meu longo discurso desnecessário e sem lógica.
Pouco a pouco, um por vez foram saindo até que fiquei completamente só. Sem ninguém pra me escutar, pela primeira vez resolvi também realizar esse papel além de apenas falar. Fui surpreendido ao perceber quão tola e desprazerosa era minha conversa.
Resolvi que iria mudar, planejei um "Ensaio Para o Silêncio"  com metas bem definidas, decidi que iria aprender a usar de modo inteligente o silêncio e a desenvolver ouvidos atentos não apenas ao que outros falavam.

P.S.: Então um dia desses passeando pela blogosfera descobri o blog da Débora Martins em que ela estava começando uma série de artigos debaixo do tema: Um Ensaio Para o Silêncio. Gostei do texto e me senti movido a escrever um outro que homenageasse o trabalho dela.
Infelizmente, quando escrevi o texto eu estava com sono e não saiu da forma que eu esperava, mesmo assim achei por bem postá-lo.