quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Desabafo de um blogueiro v 2.0

"Já desisti não existe porquê
Sou apenas mais um alegre deprê"
Seria o Rolex? - Móveis Coloniais de Acaju

No post: Desabafo de um Blogueiro, o amigo Eduardo Montanari deixou um comentário que mais tarde transformou em post, onde me dizia a realidade da blogosfera: a maioria das pessoas não estão tão interessadas assim em blogs pessoais, com textos e desabafos.
Quando escrevi aquele desabafo, confesso que não sabia mais quais eram os meus objetivos ao ter um blog, eu não tinha interesse no meu próprio blog. Pra que eu ia querer ter algo que eu mesmo não acreditava?
Depois de publicar o post, recebi comentários maravilhosos de grandes amigos(as), inclusive de pessoas que nem sabia que liam o meu blog. Vi que não poderia deixar as coisas assim! Sentei, pensei e em uma folha de ofício escrevi os meus objetivos para com o blog, o que pretendia alcançar com ele. Me surpreendi pois defini mais objetivos do que esperava.
A maioria das pessoas não se interessam tanto por blogs como o meu? Deixa pra lá!!! Vi que embora não acredite tanto no que publico, tenho amigos que acreditam no escrevo e me apoiam.
Estou planejando para os dias a frente, mudança e evolução para o Du Ventu.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Queria Sentir Raiva

Queria poder sentir raiva de você! Gostaria de conseguir te dar as costas sem pensar e nem olhar para trás. Mas não consigo!
Não consigo porque é difícil imaginar a minha vida sem você por perto. Afinal são mais de 5 anos de amizade verdadeira.
Mesmo depois de todo esse tempo, ainda existem características suas que não consegui me acostumas, tais características me incomodam, mas eu te entendo e aceito.
O que estou tentando dizer, não é que a sua amizade me faz mal (longe disso!!!). Talvez no fundo o que eu sinto seja medo de perder a sua companhia.
Tenho raiva é de mim, por toda essa situação que criei.

P.S.1.: Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a todos os comentários que fizeram no último post.
P.S.2.: O texto indicado da vez é: O Pequeno Pote de Alegria
P.S.3.: Mais uma vez recebi um selo da grande amiga Sumie, muito obrigado Sumie.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Desabafo de um blogueiro

"Busquei em vão
Identificar
Motivos para não
Querer te guardar"
Seria o Rolex? - Móveis Coloniais de Acaju

Tenho pensado muito na continuidade do blog Du Ventu. Criei o blog graças ao incentivo da minha amiga Daniele Vieira. No início era um blog sem um tema definido, depois de algum tempo resolvi postar só os meus textos aqui no blog.
Acontece porém, que o blog tem pouco mais de um ano. Chegamos a essa idade com muito sacrifício e esforço, mas pra ser sincero, embora a maioria diga o contrário, não acho os meus textos bons, não acredito no meu trabalho como deveria, acho que os meus temas e o meu estilo de escrita são repetitivos e não acho que o meu blog tenha algo a acrescentar pra quem o lê.
Sei muito bem o que o blog me proporcionou, conheci muita gente interessante e com alguns em especial, criei uma grande amizade. Se me perguntassem hoje o porquê que tenho um blog, não saberia responder, pois além de não acreditar na qualidade do que posto, os meus leitores são poucos (e a esses poucos tenho muito a agradecer). Não quero dizer que minha intenção ao ter um blog seja ganhar destaque na internet, o caso é que tenho a péssima mania de me comparar a outros e vejo por ai blogs com menos tempo do que o meu, mas com uma qualidade superior.
Ou seja, toda a questão é a qualidade! Não estou satisfeito com a qualidade do meu blog.
Esse foi apenas um desabafo. Não quero dizer que irei acabar com o blog, apenas digo que essa é uma idéia tentadora que tem passado por minha mente.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

O Segredo Visto no Espelho

Ela era uma menina de cabelos loiros, olhos castanhos, que demonstrava ter um jeito doce e delicado. Vivia sonhando com uma vida melhor, uma vida perfeita, esperava há muito tempo a chegada de um príncipe vindo de um castelo distante que a levaria para o lugar que sempre havia sonhado.
A verdade, porém, é que embora demonstrasse ser doce, a menina passava por cima de toda e qualquer pessoa que se ousava a contrariá-la, qualquer pessoa que tentava acordá-la para a realidade. Ela possuía segredos que se alguém os revelasse, destruiria toda a sua reputação.
Depois de tanto desejar encontrar o local de seus sonhos, ela de repente estava se vendo em frente às muralhas de um reino. Ainda sem acreditar muito no que estava acontecendo, foi caminhando numa estrada de pedras que havia no meio de extenso jardim. Tudo estava acontecendo de uma forma melhor do que ela havia imaginado.
Ao fim da estrada, ela pode ver o castelo. Com grande alegria, ela correu em sua direção. Era um local incrível! Após o ter explorado, a menina chegou a uma sala com vários espelhos, de diversos tamanhos, ao estar no centro da sala os espelhos não mais refletiram a imagem dela, eles a mostraram a verdade nua e crua.
A garota levou um grande susto ao ver aquelas imagens e saiu correndo para fora do castelo. Quando estava do lado de fora, nada estava como antes, o sol estava sumindo aos poucos e a escuridão dominava o local. Ela gritou por socorro, mas ninguém a escutava, então correu tentando sair o mais rápido possível daquele local. Os galhos dos arbustos haviam tomado vida e tentavam prende-la. Ao conseguir chegar à muralha em que tinha iniciado sua visita ao reino, não sabia mais para onde ir, até que a escuridão chegou até ela.
Aquela menina acordou em sua casa, ainda sem saber direito o que havia acontecido. Ela jura que o que houve foi real, mas o que é certo é que depois da sua experiência com os espelhos, ela nunca mais foi a mesma.
O que ela viu nos espelho? Ninguém nunca soube.

P.S.1.: Ainda não entendo direito o motivo de eu ter feito esse texto, acho que foi um clipe que eu vi e a idéia desse texto não saiu de minha mente.(O que a falta de inspiração não faz!).
P.S.2.: A indicação de hoje é o texto: De Noite.
P.S.3.: Você já se sentiu humilhado(a)? Já se sentiu anormal? Já te chamaram de feio(a)? Então indico o post da Lady Sixties: Eu, A Feia.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Homenagem - Escrito Desse Lado

Durante um período de ócio, busquei distrair-me com leituras sem compromisso. Após folhear algumas revistas, resolvi resgatar algumas cartas que havia guardado em uma caixa. Uma por uma, fui as lendo e relembrando bons momentos.
Cheguei por fim a uma carta sua, a última que você me enviou. Li de uma forma mais especial, cuidadosa, atenciosa. A sinceridade que você usou ao escrever a carta ainda era assustadora.
A saudade que estava sentindo era tanta que cheirei a carta para ver se ainda conseguia sentir um pouco do perfume que passou na carta.
Meus sentimentos estavam sendo reavivados, não era esse o meu objetivo ao abrir aquela caixa. Fui guardar sua carta no envelope que você mesmo fez, e pude notar pela primeira vez que havia escrito algo na parte de dentro do envelope:
“Sei que a emoção não vai lhe permitir ver o que está escrito desse lado tão facilmente, quando ver, espero que tenha me perdoado. Eu não escrevo o que quero, escrevo o que sou”


P.S.1.: Sei que o texto não está dos melhores, mas foi de coração que quis fazer essa homenagem para a Sumie do blog Escrito Desse Lado. Ela tá sempre marcando presença nos comentários aqui do blog, pra quem não conhece, recomendo o blog pois é sincero e verdadeiro, com opiniões de livros, séries e histórias da vida da autora do blog.
P.S.2.: Se você não viu, recomendo a leitura de uma outra homenagem a uma amiga blogueira que fiz no texto: Homenagem - Sobre Fatalismos

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Não se apegue!

Não se apegue!
Foi o que me disse quando a vi pela primeira vez, afinal de contas eu me apego fácil. No começo estávamos um pouco assustados, tímidos. Mal tivemos contato.
Fomos nos soltando aos poucos e dando espaço para nos conhecermos. Devido a um traço de personalidade, fiquei muito preocupado em agradá-la e com a impressão que ela teria de mim e do ambiente a que eu havia a levado.
Ela conseguiu se adaptar a situação de forma mais rápida do que eu. Daí então ela mostrou sua verdadeira personalidade, começou a ficar mais próxima de mim e me fazer carinhos.
Foi uma questão de tempo até eu também estar envolvido. Mas não se engane! Não era algo físico, havia sentimentos.
Observava sua fragilidade e solidão, queria protegê-la, lhe fazer companhia. Eu já sabia como essa história iria acabar, mas a esse ponto não tinha como voltar atrás.
A noite avançou e tive que me separar dela. Foi de cortar o coração ver seus olhos implorando para não deixá-la só novamente.
Aconteceu o que eu não queria: Eu me apeguei!

P.S.1.: Esse é um texto que não achei tão bem escrito assim, mas resolvi postá-lo.
P.S.2.: Recebi mais um selo da Sumie. Muito obrigado mesmo.
P.S.3.: A indicação de hoje é o texto: A libertação, já que estamos falando de relacionamentos.